O QUE É IDEOLOGIA para K. Marx, Lenin e GRAMSCI

a IDEOLOGIA GRAMSCISTA é a busca de construção de consenso em torno dos interesses, desta forma, o consenso, que é estabelecido na ideologia, traz o fortalecimento dos grupos que adere.



HISTÓRIA – COMO SURGE A TEORIA DO CONHECIMENTO, A IDEOLOGIA. Inúmeros pensadores através dos séculos buscaram compreender o tema “ideologia”, e, sobre diversas correntes filosóficas, tratam do que é a Teoria do Conhecimento. Desde defender que ideias são elementos preexistentes, aos que argumentam que as ideias nascem da percepção de coisas físicas existentes no exterior da consciência humana. Outros ainda, acreditam que as coisas físicas somente existem enquanto existir na consciência, ou seja, acreditam que ao desvio do olhar deixam de existir.

Desta forma, é possível notar as dificuldades de estabelecer verdades enquanto ideias, ou quais deveriam ser as orientações de comportamento individuais e sociais que precisam ser seguidos. Ou seja, nunca foi simples estabelecer parâmetros comportamentais ou ideológicos. Em certo consenso, as verdades só existem em termo de fato, de juízo ou dogmas.



OS CONCEITOS DE IDEOLOGIA NÃO NASCEM EM COLETIVOS OU PENSADORES MARXISTAS. As ideologias têm um ponto de partida conhecido, o pensamento de Conde Tracy, AntoineLouis-Claude Destutt (1754 – 1836), nascido em Paris, na revolução francesa, ocupou cadeira no parlamento defendendo ideias republicanas em oposição aos bonapartistas, fundou a escola filosófica chamados de “ideólogos”, trazendo ao pensamento que as ideias são elementos naturais oriundos das relações dos homens com a natureza, ou seja, o Conde de Tracy está propondo uma explicação de como nascem as ideias no seio da sociedade.

Porém o termo ideologia nas de seus opositores, os bonapartistas da revolução francesa século XVIII, ou seja, nasce como uma crítica. Era um insulto equivalente a dizer que os ideólogos pautavam suas reflexões não no mundo real, mas nos devaneios das ideias.



Para Karl Marx (1818 – 1883), a ideologia é o conjunto de ideias que servem de ilusão, com o intuito de mascarar a verdadeira luta de classes, e, então, conservar a exploração justificando como elemento natural. Considerando que, para Marx, ideologia é o pensamento burguês, o capitalismo.

Ou seja, a consciência de classe é a compressão da classe operária e de sua condição. Desta forma, o operário precisa olhar para si mesmo como uma classe distinta daquela que possui o capital. E, aqueles que defendem este modo burguês, está falseando a realidade através de uma ideologia, logo, não possui uma “consciência de classe”.

Vladimir Lenin (1870 -1924), de outro modo, pensa o termo ideologia não mais de forma negativa, mas de maneira a transformá-la em uma concepção legitima da realidade, englobando a classe dominante e classe dominada. Para Lenin, todo e qualquer grupo social precisa de alguma forma legitimar suas práticas sociais, e suas crenças, já que as classes têm seus próprios interesses, desta forma precisa de formulações teóricas para legitimá-las, para que faça sentido.



Antônio Gramsci
Foto em preto e branco de Antônio Gramsci

Enfim, Antônio Gramsci (1891 – 1937), filósofo italiano de orientação marxista, e que desde muito cedo já havia absorvido as ideias de Lenin, aprendeu que a luta da classe operária não teria sucesso sem a construção de lideranças e partidos revolucionários. Então, acaba por notar que a ideologia é uma verdade que solidifica e cria a estabilidade na sociedade.

Em Gramsci o conjunto de ideias cria o senso comum que afirmará, posteriormente o que é justo e o comportamento apropriado. Ou seja, uma ideologia depois de ser aceita se torna consenso, então hegemônica e racional. Pelo menos até novas ideias surgirem e tomar o lugar no sistema. Gramsci entende ideologia como sendo um fator histórico, mutável cheios de rompimentos e extinções.

Para compreender melhor, para Gramsci, a ideologia marxista também irá ser superada, como qualquer outra ideologia, basta que a ideologia que a mantém de pé também deixe de existir. Ou seja, assim que a propriedade privada for abolida e os meios de produção forem coletivizados, a contra ideologia, o marxismo, perece junto, porque aquilo que era visto como ideologia para a ser visto como realidade, ou a nova estrutura ideológica.

Desta forma, a realidade do mundo nunca é imutável, dogmática ou intransponível, pelo contrário, a ideologia é influenciável se reformulando sempre e gerando algo novo, que não necessariamente é diferente do seu oposto. Assim, diante de novos determinantes, as ideologias se reconfiguram e se conserva, mesmo que somente em conteúdo ou temática.



PARA GRAMSCI A IDEOLOGIA É O ESTRUTURADOR DA SOCIEDADE. É um mecanismo que se bem usado diminuirá a necessidades de força violenta e coerção estatal, para impor outra realidade. Assim a ideologia é uma maneira cordial de buscar o consenso para explicar a ou justificar a realidade.

Então, a IDEOLOGIA GRAMSCISTA é a busca de construção de consenso em torno dos interesses, desta forma, o consenso, que é estabelecido na ideologia, traz o fortalecimento dos grupos que adere.

Há, ainda, o uso do senso comum como mecanismo estruturador da sociedade. É em cima do senso comum que serão construídas todas as outras visões de mundo dos indivíduos – mesmo que de maneira incoerente e desconexa da realidade – porém com trocas constantes de ideias entre a ideologia considerada hegemônica, e com reformulação no campo cultural da ideologia contra hegemônica (marxismo), desta forma, ganhando autonomia, e avançando para noções mais claras.

Como dito anteriormente, em Karl Marx sobre a consciência de classe, o proletário precisa se perceber como classe, então perceberá as contradições próprias das ideologias, para só então insurgir. Gramsci vê esta estrutura de forma que possa atuar sobre ela, afirmando que são necessários operários intelectivos do marxismo para orquestrar essa manifestação quando ocorrer.

Ou seja, a luta não é no campo intelectual ou político, no processo revolucionário o importante é o intelectual orgânico, para adentrar o campo intelectual e cultural. E, somente através dos intelectuais orgânicos que a tão sonhada consciência de classe será fortalecida e ampliada.



Outro ponto importante em Gramsci é o significado e a importância das escolas, serão lá que as maturações nas cabeças dos educandos serão organizadas. Gramsci, vê nas escolas o canal que possibilitará a construção de consciência de classe, e a emancipação cognitiva e cultural. A escola é o local de conflitos cultural e dialético para, segundo Gramsci, avançar no sentido da autoconsciência.

A INFLUÊNCIA DO GRAMSCISMO NO BRASIL. Em Paulo Freire é possível notar as características dessa doutrina quando considera que há no aluno um conhecimento prévio, ou seja, sua cultura, afirmando que tal conhecimento, mesmo que senso comum, é a realidade do aluno e é a partir de tal ponto que o professor deve desconstrui-la, e buscar a mudança que deseja, tanto psicológica quanto cognitiva. É a partir do já conhecido que de orientar para mudança ou nova realidade.



Deixar uma resposta