E SE CUBA ABANDONASSE O SOCIALISMO?

Mesmo depois do fim do socialismo as feridas causadas perduram por muitos anos.



E SE CUBA CONSEGUISSE SAIR DAS AMARRAS de uma economia planificada? Existiria, realmente, uma possibilidade de crescimento a curto prazo? 

Essas são algumas das perguntas que sempre ouço, e, inclusive, vi matérias a respeito em revistas de circulação nacional. E SE….? 

bandera_cuba
Bandeira de Cuba

Houve em 2008 [1] a notícia “Cuba diz ter 20 bilhões de barris de petróleo em alto-mar” Houve, inclusive especulações [2]. Em 2015 “Cuba pode se tornar uma potência em minério e petróleo? ” especulava o jornal. Porém em 2016 “Cuba pede petróleo à Rússia por problemas com fornecimento” devido problemas enfrentados pela Venezuela.[3]

Dito isto, as notícias mostram que mesmo que existisse 20 bilhões de barris, como anunciado, em Cuba não faria grande diferença, apesar de toda histeria em volta disso, e do artigo delirante do Alexandre Versignassi, na revista Superinteressante (2014). Porque mesmo que os USA desejasse comprar de Cuba ao invés de importar do oriente médio, como faz hoje, Cuba não teria a capacidade de extraí-lo, muito menos sem a tecnologia estadunidense, ou seja, precisa deles para vender para eles. E, infelizmente no curto prazo não se faz riqueza [4].



Outro delírio é achar que os cubanos voltariam para Cuba. Sim podem voltar, mas lembrem-se já se passaram quase 60 anos da Revolução cubana, é uma outra geração, é uma outra perspectiva de vida, são dos filhos dos antigos cubanos que estamos falando, a maioria deles nem ao menos sabem o que é Cuba! São Norte Americanos, vivem como Norte Americanos.

Cuba está se abrindo economicamente – é verdade! Apesar dos desmandos políticos, desde 2014 vem tomando medidas que visam o investimento estrangeiro [5]. Porém a verdade é que as chagas do socialismo costumam durar muito mais do que o próprio socialismo.

Vejamos, se jovens cubanos, seguir o exemplo dos jovens alemães de hoje, [6] 25 anos depois da queda do Muro de Berlim, os cubanos migrariam para lugares de economia mais livre e com melhores condições de trabalho, ou seja, a tendência não é voltar para as terras que foram de seus pais, mas, com a abertura, a tendência é migrar para lugares melhores economicamente.

E, outra ainda, entre os argumentos de grande prosperidade, está o “cubano têm boa educação”, bom, eu não acredito nisso! Mas, suponhamos que seja verdade, a educação cubana não é voltada para o mercado, é totalmente estatal para manter um status quo, saber ler não é saber lidar com o mundo, o cubano terá que aprender o que é mercado, gerir, administrar, acumular capital e outras tantas condições de um mundo quase totalmente desconhecido para os cubanos que vivem na ilha desde sua infância, lembre-se estamos falando de uma geração que nunca viu a prosperidade capitalista.

Nesses casos, como norte coreanos, chineses, alemães do oriente e, claro, cubanos são necessárias gerações para desenvolver uma mentalidade pró-mercado!



Os exemplos dos Norte Coreanos que conseguem fugir e chegar a Coreia do Sul, mostra que mesmo eles, povo de mesma língua e etnia, percebem que sua capacidade é inferior aos dos seus vizinhos, muitos médicos norte coreanos não conseguem passar nos exames sul coreanos, o patamar de conhecimentos é enorme. O mesmo acontece com médicos cubanos que chegam ao Brasil. Mesmo que exista os cursos equivalentes no socialismo, em uma economia aberta, pela própria dinâmica do mercado, e a tecnologia, os níveis de conhecimento são muito mais altos.

Sim, para Cuba seria uma nova revolução abandonar o comunismo, mas há tantas nuances para a prosperidade de um povo e, principalmente, levando em conta os patrões modernos, que é praticamente impossível prever qualquer reação cubana, diante do mercado mundial.



A verdade é que a ferida cubana, mesmo que abandonando o socialismo, ainda demoraria gerações para ser fechada.

A ditadura dos Castros em Cuba está longe de ter um fim, mas se um dia terminar e o povo cubano desejar uma abertura do mercado, ainda assim a sua recuperação demoraria um tempo impossível de prever. Qualquer tentativa de dizer que Cuba tem educação, saúde e direitos sei lá a quê! É um delírio achar que serviria de alavanca em um mundo globalizado.

[1]. Cuba diz ter 20 bilhões de barris de petróleo em alto-mar http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,cuba-diz-ter-20-bilhoes-de-barris-de-petroleo-em-alto-mar,261235

[2]. Cuba pode se tornar uma potência em minério e petróleo? http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/05/150425_cuba_potencia_minerio_petroleo_rb

[3]. Cuba pede petróleo à Rússia por problemas com fornecimento https://exame.abril.com.br/economia/cuba-pede-petroleo-a-russia-por-problemas-com-fornecimento/

[4]. O problema é que, na vida real, a riqueza só pode ser construída por meio da poupança, da acumulação de capital e da divisão do trabalho. http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2584

[5]. Medidas tem sido tomadas no sentido de abrir espaço para o capital estrangeiro. http://www.cubalibredigital.com/index.php?option=com_content&view=article&id=18515:apos-55-anos-de-fracasos-cuba-qsocialistaq-se-abre-ao-capitalismo-estrageiro&catid=28:quaternaria&Itemid=25

[6]. The Berlin Wall fell 25 years ago, but Germany is still divided. https://www.washingtonpost.com/news/worldviews/wp/2014/10/31/the-berlin-wall-fell-25-years-ago-but-germany-is-still-divided/?utm_term=.d21a8eb62100



Deixar uma resposta